• hikafigueiredo

"Steamboy", de Katsuhiro Otomo, 2004

Filme do dia (106/2015) - "Steamboy", de Katsuhiro Otomo, 2004 - Em 1866, em Manchester, na Inglaterra, Ray é um menino que segue os passos de seu pai e avô, ambos cientistas autodidatas. Quando Ray recebe uma correspondência do avô, percebe que tem uma grande invenção em suas mãos, a qual despertará a cobiça de diversas pessoas.





Anime visualmente maravilhoso e com uma história que eu, particularmente, achei um porre. Do mesmo diretor do fabuloso "Akira", "Steamboy" abusa dos detalhes gráficos, criando uma Inglaterra Vitoriana esplendorosa, que será praticamente "engolida" pela tecnologia criada pela família Steam. Então, visualmente o filme é dez. A mensagem do filme - uma crítica ao uso bélico da ciência e tecnologia - também é louvável e tem meu total apoio. Mas o desenrolar da história é, além de confuso, chato pacas, porque alonga, por uma verdadeira eternidade, as cenas onde diferentes facções brigam pela posse da tecnologia desenvolvida pelos Steam. Além disso, os personagens são antipáticos, com destaque para uma pentelhinha de nome Scarlet, que eu deixaria, sem nenhum peso na consciência, explodir com a primeira caldeira que eu tivesse em mãos (essa cretininha soca seu chihuahua no começo da animação e é a "mocinha" da história???? Ah, vai pastar!!!!!). Talvez seja crucificada em praça pública por dizer que achei uma animação de Otomo um saco, mas, diferente de 'Akira", que eu adoro, achei essa animação completamente dispensável. PS - Sim, a menina socando o cachorro fez eu ter uma antipatia profunda pela personagem e pelo desenho em si. Condenem-me por isso.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo